Uncategorized

PIB Público x PIB Privado: “Não existe em nenhum lugar do mundo”, diz economista Sérgio Mendonça

Cartum: Reprodução de Feijoada Virtual

Do Recontaaí

Ao final do dia em que integrantes da equipe econômica trocaram ataques por conta dos resultados do Produto Interno Bruto (PIB) 2019, a Secretaria de Comunicação do governo divulgou uma mensagem comemorando os dados do ano passado. O órgão afirmou que o PIB público havia caído 2,5%, ao passo que o privado teria se elevado 2,75%. A distinção foi posteriormente endossada pela Secretaria de Política Econômica.

A reação de economistas e analistas foi imediata e se estendeu ao longo da manhã desta sexta-feira (6) foi contundente. Ao Reconta Aí, o economista Sérgio Mendonça explicou que o método de cálculo do PIB é definido e compartilhado internacionalmente, até mesmo para que se possam fazer comparações. Tal metodologia, segundo ele, não comporta distinções entre PIB público e privado.

“Essa metodologia não é adotada em nenhuma outro lugar do mundo. PIB é um indicador utilizado em todos os países, baseado no sistema de contas nacionais da Organização das Nações Unidas. Nosso órgão, o IBGE, participa dessa rede e é muito respeitado. Não existe PIB do governo ou PIB do setor privado. Existem os critérios utilizados por todos os países”, diz Mendonça.

Para o economista, a razão para a divulgação da nova fórmula é tentar justificar os resultados frustrantes trazidos pela política econômica de Paulo Guedes. “Por uma questão, mais do que política, ideológica. O governo tenta justificar as medidas tomadas já desde o governo Temer – sobretudo o controle de gastos imposto pela Emenda Constitucional 95 -, as demais medidas de contenção, e que o governo Bolsonaro está dando continuidade”.

“O governo está dizendo que a austeridade vai nos levar à expansão. Ou seja, que conter o gasto público vai proporcionar aumento do investimento privado. Ele fica insistindo nessa tecla. E isso não está acontecendo, é quase uma falácia. O gasto público, na maioria das vezes, estimula o setor privado”, complementa ele.

Essa relação entre Estado e mercado privado é uma das razões para a impossibilidade de adoção da divisão proposta pelo governo. Mendonça dá o exemplo dos benefícios pagos pelo INSS, que compõe o setor público, mas que, uma vez recebidos, são gastos, via de regra, no setor privado através do consumo.

Um pensamento sobre “PIB Público x PIB Privado: “Não existe em nenhum lugar do mundo”, diz economista Sérgio Mendonça

  1. Muller, o Sérgio Mendonça esteve.a vida toda vinculado ao DIEESE e foi um dos responsáveis pelas relações trabalhistas com os empregados e o funcionalismo federal, isto porque isso não é centralizado na administração federal. Trago está questão pessoal porque é emblemática. Os economistas passam anos em cargos públicos e a gestão econômica para o desenvolvimento é arcaica para dizer que não existe. Assim estas “denúncias técnicas” são inúteis porque os problemas começam com as informações, estes problemas permanecem e não há esforços para mudar esta situação. Sérgio deve saber disto há muito tempo e parece que isto sequer foi de ajuda para o seu trabalho…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s