Uncategorized

Bolsonaro diz estar de “consciência tranquila” apesar dos 100 mil mortos, mostra jornal português

A matéria a seguir é do Diário de Notícias, de Portugal. Bolsonaro desde o começo quis liberar geral a economia. Ele sempre destacou que “os que tiverem que morrer, morrerão”. E na matéria ainda aparece Bolsonaro acusando Prefeitos e Governadores por terem imposto quarentenas. Quarentenas e restrições sem nenhuma centralidade, com um tomando medidas assim e outros assado. O resultado deste pandemônio é o povo desacreditado das orientações governamentais e cada um agindo por si.

Sem coordenação Nacional, Governadores como o do RS aceitaram pressões empresariais e criaram “regras” não para fechar o avanço do vírus, mas flexibilizar. O que passou a valer não era mais o avanço da contaminação pelo vírus, mas número de leitos em hospitais, a ponto de Prefeitos como o falsificarem para mais o número de leitos em suas cidades, o que lhes possibilitou ganhar uma bandeira de cor mais amena e portanto mais favorável a abertura geral que agora vai ganhando já o senso comum, envolvido pelo pandemônio governamental e pelas lorotas dos governates regionais.

Eu acredito que em algum momento da história, Bolsonaro deverá ser julgado por crime contra a humanidade. Por que se chegamos a 100 mil mortos quando escrevo este, é óbvio que este trágico número subirá mais.

Segue o artigo do Diário de Notícias Portugal:

Jair Bolsonaro é presidente da República do Brasil
Jair Bolsonaro é presidente da República do Brasil© EPA/ANDRE SOUSA BORGES

Opresidente Jair Bolsonaro afirmou que está “com a consciência tranquila” em relação ao seu papel frente à pandemia do novo coronavírus, que já deixou quase 100 mil mortos no país, em 3 milhões de casos registados.

“Estamos de consciência tranquila (…) Com os meios que temos, temos como realmente dizer que fizemos o possível e o impossível para salvar vidas”, assinalou o presidente durante um evento transmitido nas suas redes sociais.

Juntamente com o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, Bolsonaro assinou um decreto para a compra da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e a Universidade de Oxford, que está em fase de testes.

“A gente lamenta todas as mortes, já estão a chegar a 100 mil, talvez hoje, mas vamos tocar a vida e buscar a maneira de nos safarmos deste problema”, disse Bolsonaro mais tarde, em transmissão ao vivo, também acompanhado do general Pazuello.

Nesta mensagem, divulgada nas suas redes sociais, Bolsonaro acusou os governadores de inflacionarem os números da pandemia, e os médicos de não realizarem autópsias e colocarem covid-19 como causa de mortes sem terem um diagnóstico.

O presidente disse ter lido diretrizes do governador de São Paulo, João Dória, para que “o médico, ao não poder constatar na prática se foi Covid, escrever Covid, então o número aumenta”, declarou. “Não sei com que interesse, mas alguns governadores têm encaminhado as coisas neste sentido, levar mais pânico à população.”

Bolsonaro também criticou governadores e prefeitos por aplicarem a quarentena, acusando-os de serem “ditadores”, e responsabilizou-os pelo aumento do desemprego, que, como resultado da pandemia, subiu para 13,3% no trimestre abril-junho, um recorde em três anos: “Quase 9 milhões perderam empregos no segundo trimestre (…) Alguns governadores e prefeitos têm esta responsabilidade.”

Na quinta-feira, exibindo uma caixa de hidroxicloroquina, Bolsonaro voltou a defender o uso do medicamento.

“Quem não quiser tomar cloroquina, não tente impedir quem deseja. No final das contas, ainda não temos uma vacina, nem um remédio cientificamente comprovado”, disse.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s