Água/privatização/Rio Grande do Sul

No mês em que privatizam a CORSAN, a Água é reestatizada em Portugal e já voltou a ser Pública em muitos países

Com faturamento de mais de R$ 3,1 Bilhões, como mostra o Relatório da Própria CORSAN, a empresa esta sendo criminosamente vendida por R$ 4,1 Bilhões. Ou seja, em um ano a “ganhadora” vai pagar o que pagou pela empresa. Ou alguém acha que as contas de água e esgoto não vão aumentar e a Tarifa Social de Água para população carente vai continuar igual?

E o pior é que estamos ´permitindo que gestores vendilhões como Eduardo Leite repitam o erro que já deu errado onde foi feito e agora esta sendo revertido.

25 anos depois da privatização, a água em Setúbal voltou a ser de todos e redução dos preços para os consumidores é na ordem dos 20% e 60% para as tarifas sociais.

Quase Mil Cidades, Estados e Países já reverteram privatizações ocorridas no passado e é possível verificar que até os EUA, meca do capitalismo liberal, já tem muito mais Serviços Públicos de Água do que privados. Clique aqui para saber quis são e por que:

Leia a seguir matéria sobre a Reestatização em Portugal, acontecida neste mês de dezembro, enquanto Leite e Ranolfo, ludibriam até a justiça com xicanas várias, e depois de muitos impedimentos acabam conseguindo a liberação do Leilão.

Foi uma das principais promessas da campanha de André Martins (CDU), actual presidente da Câmara Municipal de Setúbal (CMS) para as autárquicas de 2021, recuperar a gestão dos serviços de água e saneamento para o município e baixar, significativamente, as tarifas pagas pelos habitantes do concelho. A 18 de Dezembro de 2022, as palavras passaram aos actos.

Para o concretizar, a autarquia reactivou os Serviços Municipalizados de Setúbal (SMS), estrutura de exploração do abastecimento e saneamento de água que foi entregue aos privados na concessão realizada em 1997, explicam em comunicado.

Esta transição não implica qualquer acção por parte dos consumidores, como a realização de novos contratos ou a actualização de dados ou de métodos de pagamentos: «as próprias facturas continuam a ser remetidas por correio eletrónico ou postal, mediante as opções que já se encontravam em prática».

Redução dos preços para os consumidores na ordem dos 20%. 60% para as tarifas sociais.

«O tarifário já aprovado pela Câmara Municipal, para 2023, introduz preços mais baixos em todos os escalões das facturas de consumo doméstico, com a autarquia a estimar que, face aos preços praticados até agora» pela empresa privada, nos três níveis de consumo: um consumo até cinco metros cúbicos têm uma reduções de preço de 21%, dez metros cúbicos na ordem dos 18% e 20 metros cúbicos de 20%. Os três escalões abrangem cerca de 90% dos consumidores de Setúbal.

Caso a autarquia tivesse optado por manter a concessão aos privados, estava estimado um aumento dos preços, em todos os escalões, na ordem dos 10%, comprovando as vantagens da gestão pública deste recurso.

A introdução, por opção do executivo CDU, de uma tarifa social vai ainda beneficiar cerca de oito mil utilizadores: num nível de consumo de 10 metros cúbicos, estas pessoas e famílias terão uma descida na factura muito significativa, de 59%.

Fonte: Abril a abril

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s