Porto Alegre/privatização/transporte público

AUDIÊNCIA PÚBLICA DA CAMARA DE VEREADORES VAI DISCUTIR PRIVATARIA NA CARRIS! PARTICIPE E DIGA NÃO:

Melo quer vender a CARRIS que deu lucro durante 139 anos consecutivos e foi Melhor Empresa de Transporte Público do Brasil

⚠️ Audiência Pública Carris⚠️

🗓️ Dia 12|08 às 19hs

📲 Preencha todos os dados no link para participar:

https://audienciaspublicas.camarapoa.rs.gov.br/?nf_public_link=58mtvr

Após a inscrição você receberá o link da reunião

PODEM DIVULGAR A VONTADE📲, PARA PARENTES, AMIGOS E ATÉ O USUÁRIO!

TEMOS 1MIL VAGAS PARA PREENCHER.

CHEGOU A HORA🤝🏾💪🏾🍀

POR QUE DIZER NÃO A PRIVATIZAÇÃO DA CARRIS:

A CARRIS, fundada Por Dom Pedro II, DEU LUCRO POR 139 ANOS. Quando Melo entrou na Prefeitura como Vice Prefeito de Fortunati, a empresa começou a dar prejuízo e ser dilapidada. É o que diz o JORNAL DO COMÉRCIO em excelente matéria que reproduzirei a seguir na íntegra, mas não sem chamar atenção para um trecho da mesma:

Até a década passada, a Carris não só deu lucro, como também foi eleita a melhor empresa de transporte do Brasil. Em 1999 e 2001, a Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP) escolheu a companhia porto-alegrense como a melhor do setor.

Além disso, desde 2000, por 19 anos consecutivos, a pesquisa Top of Mind da Revista Amanhã apontou a Carris como a empresa de ônibus mais lembrada pelos porto-alegrenses. As contas ficaram equilibradas até 2010″

Segue a matéria do Jornal do Comércio, na íntegra

Carris soma déficit de R$ 345 milhões em 10 anos

Empresa de ônibus fundada por D.Pedro II completa 149 anos em junho

Empresa de ônibus fundada por D.Pedro II completa 149 anos em junho

Nos últimos 10 anos, a Companhia Carris Porto Alegrense (Carris) acumulou um déficit de R$ 345 milhões. Com 148 anos de existência, a empresa passou a dar prejuízo a partir de 2011.

O maior déficit da Carris, que já foi eleita duas vezes a melhor empresa de transporte do Brasil, ocorreu em 2016, quando fechou as contas com R$ 74,2 milhões no vermelho. Os déficits formam o principal argumento do prefeito Sebastião Melo (MDB) para privatizar a Carris.

No fim de março, em uma palestra para empresários na Federação das Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul), Melo revelou que a prefeitura já decidiu pela privatização da companhia. Conforme o prefeito, o projeto que será encaminhado à Câmara Municipal de Porto Alegre, pedindo autorização para vender a estatal, já está sendo formulado.

“Quero dizer que vamos privatizar a Carris, não tem outro jeito, estamos fazendo os trâmites para isso”, afirmou. Melo argumenta que a prefeitura não pode continuar aportando recursos na Carris para cobrir o déficit da empresa.

Com isso, a companhia – que foi fundada por D. Pedro II, em 19 de junho de 1872 – pode ser extinta antes de completar os 149 anos.

Até a década passada, a Carris não só deu lucro, como também foi eleita a melhor empresa de transporte do Brasil. Em 1999 e 2001, a Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP) escolheu a companhia porto-alegrense como a melhor do setor.

Além disso, desde 2000, por 19 anos consecutivos, a pesquisa Top of Mind da Revista Amanhã apontou a Carris como a empresa de ônibus mais lembrada pelos porto-alegrenses. As contas ficaram equilibradas até 2010, ano em que o ex-prefeito José Fogaça (MDB, 2005-2010) renunciou ao cargo para concorrer a governador, deixando a prefeitura sob o comando do seu vice, José Fortunati (na época PDT; hoje no Pros).

Naquele ano, a Carris terminou com R$ 356 mil em caixa. No ano anterior, em 2009, com R$ 1,09 milhão.Em 2011, no segundo ano da gestão do ex-prefeito José Fortunati (2010-2016), a Carris começou a dar prejuízo.

Neste ano, a companhia fechou as contas com um déficit de R$ 5,92 milhões. Os déficits foram aumentando até 2016, último ano da gestão Fortunati, quando o atual prefeito Sebastião Melo era vice do ex-prefeito. Neste ano, o prejuízo totalizou R$ 74,2 milhões.

Embora também tenha cogitado a privatização da companhia, a gestão Nelson Marchezan Júnior (PSDB) diminuiu o déficit. Em 2019, a administração tucana conseguiu o melhor resultado nas contas da Carris, fechando o ano com R$ 16,5 milhões no vermelho. Foi o segundo menor déficit da década.

Em 2020, no entanto, ainda na gestão Marchezan, a companhia teve R$ 40,2 milhões de prejuízo. Apesar dos números negativos, a Carris é a empresa de transporte mais bem avaliada em Porto Alegre. Conforme um relatório sobre a Carris, divulgado pela prefeitura em 2018, a companhia recebeu menos reclamações entre as quatro empresas que operam o transporte coletivo na Capital, em 2017 e 2018. Entre os itens avaliados, a companhia tinha o menor índice de reclamações por atrasos no cumprimento da tabela horária, por não parar para o embarque de passageiros e por mal comportamento do cobrador. Hoje, a Carris responde por cerca de 22% do transporte coletivo de Porto Alegre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s