Eleições

Agora é #HaddadSim: Bolsonaro para de crescer em tracking do PT

Parece que a onda de crescimento de Bolsonaro perde folego, Haddad recupera e movimentos ocorrem, principalmente no Sul e nas faixas de renda de 2 a 5 salários mínimos em favor de Alckmin. Agora é cada um e cada uma pegando as colinhas e indo conversar com vizinhos, amigos, colegas de trabalho e também em mutirão nas vilas. O povo quer Lula e o Candidato do Lula, mas o povo precisa saber. E não adianta só ficar em redes sociais. Tem que ir também para a rua. Eu me dei no inicio da campanha a meta de ganhar 5 votos para o PT por dia. Não é difícil. Estou com uma média de 8 por dia. Parece pouco, mas se cada um dos milhões de filiados e simpatizantes fizer isto, chegaremos a muitos milhões. Este Traking diário é o mesmo que orientou o artigo publicado aqui no Blog ontem, mostrando que muito provavelmente o #EleNão teve efeito positivo para Bolsonaro e nenhum efeito para Haddad. Nunca esquecendo que traking não é uma pesquisa para identificar a tendência eleitoral e para isto é desenvolvida a sua metodologia. Leia  o artigo sobre o título:

(Foto: Reprodução)
  

O blogue acabou de receber o relatório de um dos trackings que o PT faz em todo país.

A boa notícia é que o crescimento de Bolsonaro teria sido interrompido.

Leia e tire suas conclusões:

 

Proporções paradas: (29, 29) para Bolso e (25, 25) para Haddad. Ciro move de 8 para 7.

Entre os evangélicos, o Bolso sobe um pouco (37, 38) e Haddad desce (19, 18). Movimento interessante ocorre entre os eleitores que não são anti, nem pró petistas, os neutros: Bolso cai três pontos ( 27, 24) e Haddad sobe um (15, 16). Neste segmento Ciro perde um ponto (9, 8).

Regionalmente: no Nordeste, Haddad e Bolso continuam estáveis (45 a 16) e Ciro perde um ponto de 14 para 13. No Sudeste, a queda de Ciro é um pouco maior (6 para 4) e Haddad e Bolso estabilizados em 16 H X 31 B. No Sul houve uma melhoria de Haddad que sobe de 15 para 18 e Bolso fica parado nos seus 38%. No Sul ocorreu uma tendência de aumento do voto no Alckmin (3, 5 e 9).

Nos eleitores até 2SM Bolso está parando em 19 e Haddad move de 32, para 33, enquanto nos de 2 a 5SM, Bolso (32, 34, 35) sobe e Haddad cai (22, 21, 20), aparecendo aí também o fenômeno de crescimento do Alckmin (5, 6, 8).

Parece que a onda de crescimento de Bolso perde folego, Haddad recupera e movimentos ocorrem, principalmente no Sul e nas faixas de renda de 2 a 5 SM em favor de Alckmin. Os esforços de intensificar a campanha entre os mais pobres devem continuar e a intensificação da campanha no Sudeste e Sul podem dar bons resultados. Especial atenção deve ser dada ao segmento do evangélicos.

Parece que a onda de crescimento de Bolsonaro perde folego, Haddad recupera e movimentos ocorrem, principalmente no Sul e nas faixas de renda de 2 a 5 salários mínimos em favor de Alckmin . Os esforços de intensificar a campanha entre os mais pobres devem continuar e a intensificação da campanha no Sudeste e Sul podem dar bons resultados. Especial atenção deve ser dada ao segmento do evangélicos.

Por Renato Rovai na Revista Fórum

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s