direitos sociais/trabalho

O Pensamento Vivo do gaúcho Alberto Pasqualini é luzeiro para nos defendermos do fascismo que avança sobre o Brasil

pasqualiniEm tempos de debater os rumos da esquerda e da esquerda debater os rumos do Brasil, que marcha célere para uma trágica adesão ao fascismo, como nunca antes na na sua história, publiquei neste Blog o Artigo “A Conferência do Alegrete Proferida Por Alberto Pasqualine em 1950 é atualíssima”. A Esquerda parece fazer ouvidos moucos e o centro parece estar mais disposto a aderir ao fascismo de ocasião, patrocinado pelo império. Pois voltarei a insistir neste Blog, que a Esquerda acostumada a ler pensadores europeus e também por muitas vezes derrotada por interpretar o inimigo apenas com os instrumentos e discursos estrangeiros: Que leiamos um pouco mais do que nos legaram os pensadores pátrios de Esquerda. Publicarei aqui neste Blog outros artigos de Alberto Pasqualini. Mas para que melhor me compreendam os que o conhecem, me utilizo da apresentação feita pelo Então Diretor da Escola do Legislativo Gaúcho, Deputado Edson Portilho, ao Livro “O Pensamento Político de Alberto Pasqualini”. Após esta apresentação e o anterior Artigo mencionado acima, este Blog publicará outros artigos deste que foi o grande elaborador e ideólogo do verdadeiro social Trabalhismo Brasileiro. Além do artigo do link acima, outros artigos e discursos de Pasqualini publicarei neste Blog. Segue a apresentação:

Alberto Pasqualini nasceu em Ivorá, município de Júlio de Castilhos, no dia 23 de setembro de 1901 e morreu no Rio de Janeiro em , junho de 1960. Foi advogado, secretário de Estado da Justiça e Interior no governo do interventor general Cordeiro de Farias (1938- 1943), senador e duas vezes candidato ao governo do Estado, humanista, católico ecumênico e ideólogo de grande vigor do trabalhismo. Sua vida foi marcada por uma coerência e vitalidade intelectual impar, dedicando-se com denodo a causa pública. A sua vida foi devotada a luta incansável contra as injustiças sociais. Numa época onde começava ser marcada pela dicotomia da ideologia Esquerda/ Direita, ele foi além procurando uma idéia de justiça universal, aplicada a todos os homens que superasse os malfadados ideologismos particulares. Não foi um homem de esquerda, na acepção da palavra, pois criticava os reducionismos destes e tampouco foi um homem de direita, pois teceu a mais severa critica ao capitalismo e as desigualdades extremas provocadas por esse sistema dentro do seu conceito acabado de “Usura Social” que impedia o pleno desenvolvimento do ser humano. Foi eleito pelo PTB para o Senado Federal em 1950 onde se destacou pela sua grandeza intelectual e humana. Nacionalista, foi um dos lideres na questão do “Petróleo é nosso”, sendo decisivo na criação da Petrobrás. Pasqualini na sua vida política foi muito marcado pelas encíclicas papais RERUM NOVARUM (1891) de Leão XIII e QUADRAGÉSIMO ANNO (1931) de Pio XI que o colocou na corrente do catolicismo social e pelo teórico e político do trabalhismo inglês Clement Attlee (1883- 1967). Certamente, o pensamento de Pasqualini tem muita consonância com a obra do italiano Norberto Bobbio que se definia como um socialista-liberal. Sobretudo, a importância de Pasqualini está no seu humanismo e na força do seu pensamento sempre voltado na luta perpétua e incansável contra as injustiças sociais e mazelas morais da humanidade. Ele foi um grande reformador social na sua luta contra a exclusão social e a miséria que oprimia as pessoas. Filho do Rio Grande, cioso de ser gaúcho, no entanto, se elevava no seu universalismo. Nicolau Maquiavel (1469-1527) teria se encantado com Pasqualini, pois a sua vida foi marcada pela eterna luta entre a “fortuna” e a “virtú”. Homem de extraordinária “virtú” (capacidade) foi assolado pelas desgraças da “fortuna”, a sorte sempre adversa que parecia sempre testar a sua grandeza até a sua tragédia final. O aneurisma cerebral que o acometeu em 1955, interrompeu prematuramente a sua incansável luta pela justiça social e pela elevação do ser humano. Nesses tempos de incertezas, corrupções e fugacidades, a importância de Alberto Pasqualini é incomensurável. Se pudéssemos definir Pasqualini numa frase diríamos: Pasqualini é orgulho do gênero humano e um visionário.

2 pensamentos sobre “O Pensamento Vivo do gaúcho Alberto Pasqualini é luzeiro para nos defendermos do fascismo que avança sobre o Brasil

  1. Pingback: A atualidade de Alberto Pasqualini | Luíz Müller Blog

  2. Pingback: A atualidade de Alberto Pasqualini: Conferência da Frente Única em Pelotas (1934) | Luíz Müller Blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s